sábado, 21 de julho de 2007

Ó i ó ai...


"Pagou 20 mil euros"
Ana Salgado denuncia Vieira e inspector da PJ
Ana Maria Salgado, a irmã gémea de Carolina Salgado, acusa o presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira, de ter viabilizado a edição do livro "Eu, Carolina" ao encomendar antecipadamente "uma série de livros, juntamente com a jornalista Leonor Pinhão". A acusação surge numa entrevista à SIC, emitida ontem, durante a qual a irmã da ex-companheira de Pinto da Costa lança ainda graves suspeitas sobre um elemento da Polícia Judiciária, actualmente integrado na equipa que investiga o "Apito Dourado", liderada por Maria José Morgado.
As declarações confirmam em grande parte o que Ana, 30 anos e muito parecida fisicamente com Carolina, tinha já dito anteriormente, quando foi inquirida pelo Ministério Público (MP), a 27 de Junho último, por sua iniciativa e sem que a irmã disso tivesse conhecimento. Ao MP, apurou o JN, Ana Maria terá efectuado um relato bastante mais detalhado da vida privada de Carolina e Pinto da Costa.
Ana Maria refere ter acompanhado de perto Carolina durante o tempo em que esta viveu com Pinto da Costa e mesmo depois, durante a separação do casal e no processo de preparação e elaboração do livro. A entrevista surge depois de o pai de Carolina Salgado ter posto em causa a sua sanidade física e mental, em declarações sucessivas aos jornais Correio da Manhã e 24 horas.
Compra de livros
Segundo Ana Maria, Luís Filipe Vieira aparece quando a irmã procurava uma editora para o livro. Após várias tentativas, propôs a publicação à "D. Quixote", mas a empresa terá exigido garantias. Foi então, segundo Ana, que Vieira e Leonor Pinhão fizeram a encomenda de uma série de livros, obtendo dessa forma a concordância da editora. Mais tarde, refere ainda, Luís Filipe Vieira terá também entregue 20 mil euros a Carolina Salgado, para que esta pudesse fazer face às despesas com os processos que interpusera contra Pinto da Costa.
Suspeitas sobre polícia
Na entrevista, Ana Maria lança suspeitas sobre um elemento da Polícia Judiciária de Lisboa, que acusa de ter fornecido elementos a Carolina sobre o suposto jantar descrito no livro "Eu Carolina", durante o qual teria contecido uma entrega de dinheiro por parte de Pinto da Costa a um árbitro, no final de um jogo de futebol. O jantar terá acontecido na residência do casal, na Madalena, Gaia, tendo o inspector da PJ corrigido Carolina quanto a alguns detalhes do encontro. A irmã garante que Carolina não viu dinheiro nenhum, apenas um envelope branco que "até podia estar vazio".
Na entrevista, Ana Maria conta ainda que o mesmo elemento da Polícia Judiciária - actualmente integrado na equipa liderada por Maria José Morgado, que coordena os processo relacionados com o "Apito Dourado" - terá inclusivamente aconselhado a sua irmã a "vender "um imóvel e o carro", de forma a não ter que pagar eventuais indemnizações resultantes de processos judiciais. Estas denúncias, apurou o JN, estarão já a ser investigadas pelo Ministério Público
Ridicularizar
Ana Maria diz ainda que tem em seu poder uma versão original do livro que lhe foi "cedida". O conteúdo final, garante, foi "adulterado", de modo a que o presidente do F.C. Porto "caísse no ridículo". "Disse-lhe que quem iria cair no ridículo seria ela", refere a irmã de Carolina. Durante a entrevista recusou peremptoriamente a ideia de estar a ser manipulada.
A irmã de Carolina confirma também o que já anteriormente tinha sido referido ao MP por Fernanda Freitas, a escritora do livro "Eu, Carolina", sobre as agressões a Ricardo Bexiga. Que tudo teria sido feito com o líder dos Superdragões, Fernando Madureira, e por exclusiva inciativa de Carolina Salgado. "Achei ridículo ela gabar-se", sentenciou.

10 comentários:

TheBlueBeast disse...

ja me tinham dito que O BARBAS estava a oferecer livros no seu restaurante aos clientes mais frequentes e nunca tinha entendido bem o porquê de "oferecer"... pois, so a ele foram vendidos 200!
as peças do puzzle começam a juntar-se...
até o filme que iam fazer já foi cancelado devido a credibilidade reduzida da todo o enlace...

Nox disse...

Estes podres estão todos a cair. Tanto querem denegrir o FCP que caem no ridículo. Estou para ver o que sucederá...

Prof. Marcelo disse...

Confesso que nem consegui ler o texto todo porque já me farto das teorias da conspiração. Continuam a defender o PC de uma forma tão cega!!! Falam que o Vieira compra livros e que a Carolina afinal só viu o envelope e não viu o dinheiro. Então o envelope tinha o k lá dentro? Postais de natal?!?!?!?!?
Não me admirava nada que o LFV tivesse feito isso para possibilitar que o livro fosse editado. Mas o k é que tal facto tem a haver com o PC fez ou não fez.... Deixem o clubite de lado e analisem os factos, principalmnte tu Filipe que sabes muito mais sobre as merdas que o PC fez do que a maioria do pessoal.

Mas voçês é que sabem e se quiserem coninuar a acreditar na inocência do PC e no Pai Natal é convosco.

TheBlueBeast disse...

já me conheces bem para saberes que eu nao acredito e nunca acreditarei na inocencia total do PC...NUNCA! lool
MAS, isso nao quer dizer que este caso particular nao tenha sido mal conduzido, que o foi, mas ainda pior, MAL INFLUENCIADO POR CONHECIDAS FIGURAS ligadas ao SLB.
Mas a entrevista da Ana Maria foi mesmo um Must...tenta ver na SicONline...estava perfeita! se é que me faço entender...
para terminar, esta historia da Carolina caiu finalamente em DESCREDITO TOTAL, até para aqueles que sempre a apoiaram...veja-se o exemplo do filme que ia ser, mas afinal já nao é..lol..

TheBlueBeast disse...

"A irmã gémea de Carolina Salgado dirigiu-se ao Departamento de Investigação e Acção Penal do Porto e desmentiu várias coisas publicadas no livro ‘Eu, Carolina’. Ana Maria Salgado disse que a irmã está a receber dinheiro de José Mourinho por ter cortado da versão original da obra referências à vida íntima do treinador do Chelsea"

Domingo, 22 de Julho de 2oo7 In Correio da Manha

é caso para dizer: ó Mourinho já foste! lol

TheBlueBeast disse...

"Tem conhecimento de que está prevista uma espécie de 'formação' da Carolina nas instalações da Polícia Judiciária de Lisboa, a fim de a preparar nos depoimentos (nomeadamente para a mesma não vacilar) que tenha que prestar no âmbito dos processos conhecidos como Apito Dourado", pode ler-se num dos autos de inquirição.

JN, 22 de Julho de 2oo7

TheBlueBeast disse...

Ana Salgado vai entregar ao Ministério Público (MP) a versão original do livro "Eu, Carolina", que diz ter em sua posse, apurou o JN

Agora sim...isto pode piar fino

DUXXI disse...

Eles todos numa fogueirinha, que rico lume que dava!!

O LFV não é mais inocente que o PC, nem vice-versa. Para mim, o LFV ao conseguir com que a CS se junta-se a ele para acabar com o PC, este, o PC, arranjou a AS para acabar com a verícidade dos depoimentos da CS.
Porque segundo a AS, o LFV acrescentou algumas teorias, ou botaos dele no livro da CS.

Se eu mandasse no MP, punha-os todos juntos na cela.

João Meireles disse...

Só gostava de saber quanto é que esta recebeu do pc...

mmeira disse...

E esta trabalhava onde??? No calor da noite???